19/11/2018
CONTROLE DE PRAGAS URBANAS NA REDE PÚBLICA DE ESGOTO - NOVEMBRO - V2
O S.A.A.E. (Serviço Autônomo de Água e Esgotos) de Lençóis Paulistaexecuta neste mês de NOVEMBRO o Controle de Pragas na rede pública deesgotos com aplicação de inseticida e raticida. A orientação do S.A.A.E. é para queos moradores fiquem atentos com a data da aplicação no seu bairro...

Clique aqui para ler esta notícia completa.

Portal da Transparência

Portal PMLP

Ligue

14 3269 7700

Para dúvidas sobre a sua conta de água

Ligue

0800 772 3115

Para falta d'água, entupimentos de esgoto ou vazamentos

Você esta em > Home > Água e Esgoto

Água e Esgoto

O SAAE produz e distribui atualmente em torno de 22.622.000 milhões de litros de água por dia, para quase 18 mil imóveis, atendendo aproximadamente 59.366 habitantes. A maior parte, 65%, é captada do Rio Lençóis, com o ponto de captação localizado na própria ETA e que pertence à bacia hidrográfica do Rio Tietê / Jacaré, e a sua qualidade é definida pela Resolução CONAMA 357/2005, do Ministério do Meio Ambiente, e monitorada pelos órgãos ambientais estaduais. Os outros 35% da água produzida, ficam por conta de (10) poços semi artesianos, que pertencem ao aqüífero Guarani e Serra Geral. Destes poços, (06) estão localizados na área urbana, (04) na área rural e (01) no Distrito de Alfredo Guedes.

Origem Localização na Área Urbana Localização na Zona Rural Produção Média Diária em m3
ETA (Rio Lençóis) Rua: XV de Novembro nº 1111 12.879
ALMOXARIFADO Rua: José Paulino da Silva nº 141 4.016
NÚCLEO Rua: Américo Nelli s/nº 3.936
EDEN Rua: Manoel Amâncio s/nº 81
FACILPA Rua: Lázaro Brigito Dutra s/nº 1.136
SÃO JUDAS Rua: Santo Ignácio s/nº 122
SANTA LUZIA Rua: Santo Tiago s/nº 26
CORVO BRANCO Travessa São Jerônimo s/nº 48
TIA EMÍLIA Rua: Jurandir Lorençone s/nº 58
MORUMBÍ Rua: Virgílio Duarte Moreira s/nº 179
ALFREDO GUEDES Rua: Sete de Setembro s/nº 141
Total Produção: 22.622

Reservatórios

Para armazenar toda essa água produzida, diariamente, o SAAE conta com 20 (vinte) reservatórios distribuídos em 17 áreas do município, sendo 13 (treze) urbanas e 4 (quatro) rurais.

Número dos Reservatórios Nome dos Reservatórios Localização dos Reservatórios Reservação em m3
Urbana Rural
1 ALMOXARIFADO Av: 9 de Julho, 1223 508,95
2 ALMOXARIFADO Av.: 9 de Julho, 1223 1.196,00
3 UBIRAMA (APAE) Rua: Vinte e Oito de Abril 125,10
4 UBIRAMA Av.: Marechal Dutra 1.130,00
5 CRUZEIRO Rua: Pará 1.690,00
6 NÚCLEO Rua: Américo Nelli 1.100,00
7 NÚCLEO Rua: Américo Nelli 632,00
8 NÚCLEO (Cx. Concreto) Av.: Nações Unidas 500,00
9 NAÇÕES (SENAI) Av: Jacomo Nicolau Paccola 990,00
10 ITAMARATY Av.: Osaka 710,00
11 PRÍNCIPE Rua: Umberto Pelegrino 2.617,50
12 EDEN Rua: Manoel Amâncio 79,65
13 FACILPA Rua: Lázaro Brigito Dutra 23,10
14 CORVO BRANCO Travessa São Jerônimo 38,20
15 TIA EMÍLIA Rua: Jurandir Lorençone 42,40
16 SÃO JUDAS TADEU Rua: Santo Ignácio 42,40
17 SANTA LUZIA Rua: São Simão 36,30
18 SANTA LUZIA Rua: São Simão 36,30
19 DISTRITO ALFREDO GUEDES Rua: José Lourenço da Silva 61,30
20 DISTRITO INDÚSTRIAL Rua: Ásia 92,30
Capacidade Total de Reservação em m3 11.455,90 195,60

Tratamento

A água por ser um solvente especial, quando em contato com os diversos e diferentes tipos de materiais encontrados na natureza, esta apresenta uma incrível capacidade natural de dissolvê-los. Portanto mesmo a água doce, presente nos rios, lagos e lençóis subterrâneos, contêm resíduos das substâncias presentes no meio ambiente, tais como sais minerais, partículas em suspensão e microorganismos, podendo assim não ser potável.

Portanto para garantir que a água fornecida a população seja potável, o SAAE busca fontes de água de boa qualidade e processo de tratamento adequado para eliminar todos os poluentes e agentes que possam ameaçar a saúde da população.

Na Estação de Tratamento de Água (ETA), operada pelo SAAE, a água bruta a ser tratada é captada do Rio Lençóis, através de bombeamento, e conduzida por tubulações até a estação de tratamento. Nessa etapa existem peneiras que evitam a entrada de galhos, folhas e outros materiais sólidos que podem comprometer o processo de tratamento.

Para remover as impurezas sólidas, em suspensão presentes na água, são adicionados alguns produtos químicos. Esses produtos auxiliam na formação de flocos (floculação) das quais facilitam que as impurezas contidas na água se aglomerem, separando-se da água (decantação), processo este que ocorre em grandes tanques chamados decantadores. Em seguida a água passa por filtros de areia e pedras (filtração) e é armazenada em um reservatório onde é adicionado o cloro, para assegurar que a água fique livre de bactérias, e também o flúor para prevenir a formação de cáries nos dentes das crianças.

A água retirada dos poços semi artesianos, que auxiliam no abastecimento de vários setores da cidade, recebe tratamento simplificado, somente com adição de cloro e flúor, pelo fato que nos lençóis subterrâneos e aqüíferos a própria natureza funciona como um grande filtro.

Todas essas etapas de tratamento e o uso controlado de produtos químicos auxiliares servem para eliminar microorganismos que podem causar doenças, retirar impurezas, controlar o aspecto e o gosto, garantindo assim a qualidade da água fornecida pelo SAAE.

O nosso objetivo fundamental é manter a qualidade da água em todas as etapas do processo, atendendo os padrões de potabilidade exigidos pelo Ministério da Saúde, baseados na Organização Mundial da Saúde.

Qualidade

Para garantir a qualidade do liquido precioso, produzido e distribuído e a saúde da população, o SAAE realiza todos os dias análises da água na saída do tratamento e semanalmente na rede de distribuição, onde as amostras são coletadas na unidade fornecedora de água dos imóveis (cavalete de entrada), assegurando assim à qualidade da água produzida e distribuída a população.

Em cumprimento ao disposto no Decreto Federal nº 5.440/05, que estabelece normas quanto à divulgação de informações ao consumidor sobre qualidade da água para o consumo humano e em consonância com a Portaria do Ministério da Saúde nº 518/04, que estabelece o padrão de potabilidade da água.

Significado dos Parâmetros

Cloro

O cloro é um agente bactericida. É adicionado durante o tratamento com o objetivo de eliminar bactérias e outros microorganismos que podem estar presentes na água. Á água entregue ao consumidor deve conter, de acordo com a Portaria 518/04 do Ministério da Saúde, uma concentração mínima de 0,20 mg/L (miligramas por litro) de cloro residual e no máximo 2,00 mg/L (miligramas por litro)

Turbidez

A turbidez é a medição da resistência da água à passagem de luz. É provocada pela presença de material fino (partículas) em suspensão (flutuando/dispersas) na água. A turbidez é um parâmetro de aspecto estético de aceitação ou rejeição do produto. De acordo com a Portaria nº 518/2004 do Ministério da Saúde o valor máximo permissível de turbidez na água distribuída é de 5,00 UT (unidade de turbidez)

Cor

A cor é uma medida que indica a presença na água de substâncias dissolvidas, ou finamente divididas (material em estado coloidal). Assim como a turbidez, a cor é um parâmetro de aspecto estético de aceitação ou rejeição do produto.

De acordo com a Portaria nº 518/2004 do Ministério da Saúde o valor máximo permissível de cor na água distribuída é de 15,00 UH (unidade de Hazen).

PH

O pH é uma medida que estabelece a condição ácida ou alcalina de uma água. É um parâmetro de caráter operacional que deve ser acompanhado para otimizar os processos de tratamento e preservar contra corrosão ou entupimentos as tubulações do sistema de distribuição. É um parâmetro que não tem risco sanitário associado diretamente à sua medida.

De acordo com a Portaria nº 518/2004 do Ministério da Saúde a faixa recomendada de pH na água distribuída é de 6,00 a 9,50.

Coliformes

É um grupo de bactérias que normalmente vivem no intestino de animais de sangue quente, embora alguns tipos possam ser encontrados também no meio ambiente.

É uma análise utilizada como indicadora de possível contaminação microbiológica.

Flúor

O flúor é um elemento químico adicionado à água de abastecimento, durante o tratamento, devido à sua comprovada eficácia na proteção dos dentes contra a cárie.

O teor de flúor na água é definido de acordo com as condições climáticas (temperatura) de cada região, em função do consumo médio diário de água por pessoa. Para o estado de São Paulo o teor ideal de flúor é de 0,70 ml/L (miligramas por litro), podendo variar entre 0,60 a 0,80 mg/L.

A ausência temporária ou variações de flúor na água de abastecimento não tornam a água imprópria para consumo.

Controle de perdas

A perda de água por vazamentos nas redes de distribuição é um dos maiores problemas dos serviços de água nas cidades brasileiras. Calcula-se que metade da água tratada que entra nas redes acaba não chegando às torneiras. Para enfrentar esse problema, o SAAE desenvolve um programa de controle de perdas.

O projeto funciona da seguinte maneira: uma equipe vai a campo, munida de equipamentos especiais para detectar se há vazamentos, visita todos os imóveis dos setores escolhidos, mede a pressão da água na entrada e na saída da rede. Se detectado vazamento, a rede é consertada.

Outra ação que faz parte do esforço para diminuir a perda de água em vazamentos é a troca das redes antigas feitas de ferro e sujeitas à corrosão, por encanamentos de PVC mais resistente porque não enferruja.

Quando se evita perda de água em vazamentos, o SAAE pode abastecer mais pessoas com a mesma quantidade produzida. Com isso, não é necessário perfurar novos poços ou aumentar a captação nos rios. O resultado é economia do dinheiro público e economia de água da natureza.