Portal da Transparência

Portal PMLP

Ligue

14 3269 7700

Para dúvidas sobre a sua conta de água

Ligue

0800 772 3115

Para falta d'água, entupimentos de esgoto ou vazamentos

Você esta em > Home > Dicas

Dicas

Esgoto

Economize água

"No banho, feche a torneira enquanto se ensaboa e prefira o chuveiro à ducha. Em 15 minutos com o chuveiro elétrico ligado gasta-se 45 litros. Em cinco minutos fechando o registro enquanto ensaboa são 15 litros. Já com a ducha, em 15 minutos com o registro meio aberto gasta-se 135 litros e em cinco minutos gasta-se 45 litros."

Evite o refluxo de esgoto

Óleo

Nunca jogue restos de óleo no ralo da pia. Uma gota de óleo é capaz de contaminar 20 (vinte) litros de água, prejudicando todas as formas de vida e também danifica o sistema de tratamento de esgoto. Guarde os restos de óleo em uma garrafa plástica e entregue para os catadores da Cooperativa de Reciclagem no dia da coleta seletiva em seu bairro.

Água de chuva

Não ligue os ralos do quintal e as calhas na rede de esgotos. A água de chuva sobrecarrega a rede e provoca o retorno dos esgotos para os vasos sanitários, pias e ralos internos das casas. Esta água transmite doenças como a hepatite A, leptospirose, shigelose, febres tifóide e paratifóide, gastroenterites, cólera, entre outras.

Identifique vazamentos

Hidrômetro

Confira o seu relógio de água, o hidrômetro. Deixe os registros na parede abertos, feche bem todas as torneiras, desligue os aparelhos que usam água e não utilize os sanitários. Anote o número que aparece ou marque a posição do ponteiro maior do seu hidrômetro. Depois de uma hora, verifique se o número mudou ou o ponteiro se movimentou. Se isso aconteceu, há algum vazamento em sua casa.

Canos direto da rede

Feche o registro na parede. Abra uma torneira alimentada diretamente pela rede do SAAE (pode ser a do tanque) e espere a água parar de sair. Coloque imediatamente um copo cheio de água na boca da torneira. Caso a torneira sugue a água do copo é sinal que existe vazamento no cano alimentado diretamente pela rede.

Canos da caixa d'água

Feche todas as torneiras da casa, desligue os aparelhos que usam água e não utilize os sanitários. Feche bem a torneira de bóia da caixa, impedindo a entrada de água. Marque na própria caixa o nível da água e após uma hora verifique se ele baixou. Se baixou, há vazamento na canalização ou nos sanitários alimentados pela caixa d'água.

Torneiras

Quando a torneira estiver pingando quando fechada, troque o "courinho". Uma torneira gotejando joga fora 46 litros de água num dia, o que dá 1.380 litros num mês. Um filete de mais ou menos 2 milímetros joga fora 4.130 litros por mês e um filete de 4 milímetros dá 13.260 litros num mês.

Vaso Sanitário

Jogue cinzas, de cigarro ou de outro material, no fundo do vaso sanitário. Se a cinza ficar parada no fundo do vaso não há vazamentos. Se houver movimentação, é sinal de vazamento na válvula ou na caixa de descarga.

Limpeza da caixa d' água

A caixa d' água é uma garantia de abastecimento. Para calcular o tamanho ideal da caixa, saiba que cada pessoa consome em média 150 litros de água por dia. Para manter a qualidade da água tratada pelo SAAE, você deve cuidar das instalações hidráulicas e lavar a caixa d'água pelo menos uma vez por ano. Veja como fazer a limpeza:

  • Escolha de preferência um fim-de-semana em que você não tenha compromissos agendados e tenha certeza de que a escada que dá acesso à caixa está bem posicionada e que não há o risco de escorregar.
  • Feche o registro da entrada de água na casa ou amarre a bóia. Deixe apenas um palmo de água no fundo da caixa e armazene o restante para usar enquanto estiver fazendo a limpeza.
  • Utilize um pano limpo para lavar as paredes e o fundo da caixa. Se a caixa for de fibrocimento, substitua o pano úmido por uma escova de fibra vegetal ou de fio de plástico macio. Não use escova de aço, vassoura, sabão, detergente ou outros produtos químicos.
  • Ainda com a saída da caixa fechada, deixe entrar um palmo de água e adicione dois litros de água sanitária. Deixe por duas horas e use esta solução desinfetante para molhar as paredes com a ajuda de uma brocha e um balde ou caneca de plástico.
  • Verifique a cada 30 minutos se as paredes secaram. Se isso tiver acontecido, faça quantas aplicações da mistura forem necessárias até completar duas horas. Não use esta água de forma alguma por duas horas.
  • Passadas as duas horas, ainda com a bóia amarrada ou o registro fechado, abra a saída da caixa e a esvazie. Abra todas as torneiras e acione as descargas para desinfetar todas as tubulações da casa. Procure usar a primeira água para lavar o quintal, banheiros e pisos.
  • Tampe bem a caixa para que não entre sujeira, insetos ou pequenos animais. Isso evita a transmissão de doenças. A tampa tem que ter sido lavada antes de ser colocada no lugar.
  • Anote do lado de fora da caixa a data da limpeza e na agenda a data para a próxima limpeza. Abra a entrada de água da casa e deixe a caixa encher. Esta água já pode ser usada.

Água, fonte da vida

A água não pode ser criada nem destruída. A quantidade de água na Terra é exatamente a mesma desde que o planeta esfriou, mas esse líquido sem cheiro, cor nem sabor e vital para a existência de vida, está sendo bastante maltratado pela ação do homem. E todas as previsões são de que o futuro será catastrófico se nada for feito.

A água pronta para beber e fácil de captar está nos rios e lagos, num total de 90 mil quilômetros cúbicos, ou 0,26% do estoque mundial. Mas para não esgotar, só podemos utilizar a água renovável pelas chuvas.

O problema é que o consumo está crescendo em ritmo mais acelerado que a população em todo o mundo. Segundo a ONU (Organização das Nações Unidas), o crescimento do consumo de água no século 20 foi o dobro do aumento populacional. Isso significa que hoje consumimos metade do estoque disponível. Se esse ritmo se mantiver, em 35 anos a humanidade estará utilizando todo o estoque de água disponível.

Além do aumento no consumo, a agressão à qualidade da água é outro fator crucial, principalmente pelo lançamento de esgoto e de resíduos tóxicos, além de lixo e areia, que causa assoreamento. Segundo a ONU, nos países em desenvolvimento, até 90% do esgoto é lançado nas águas sem tratamento. Todos os anos, de 300 a 500 milhões de toneladas de metais pesados, solventes, produtos tóxicos e outros tipos de dejetos são jogados na água pelas indústrias.

O Brasil é um dos maiores reservatórios de água no mundo: 13% do volume de água de rios de todo o mundo está no país. Além disso, temos sob nossos pés a maior reserva de água doce do mundo, o aqüífero Guarani, uma super poça subterrânea que cruza a fronteira de sete estados e avança pelos territórios da Argentina, Paraguai e Uruguai. Só ali estão 37 mil quilômetros cúbicos de água potável, o que daria para encher até a boca 7,5 milhões de estádios do Maracanã, segundo cálculos do geólogo Heraldo Campos, especialista no aqüífero.

Para especialistas, por termos muita água também temos a cultura do desperdício. E se o futuro de grande parte da água do planeta está em nossas mãos, está mais do que na hora de encararmos a responsabilidade, de passar das palavras à ação.

Todos temos responsabilidade. Inclusive você, cidadão comum, cujos hábitos de vida e consumo serão decisivos para evitar que as previsões catastróficas se tornem realidade. Coisas simples como escovar os dentes com a torneira aberta pode não parecer importante, mas imagine bilhões de pessoas no mundo fazendo a mesma coisa. Por isso, todos podem e devem ajudar. Comece cobrando de você mesmo e da sua família o uso racional. Depois, cobre dos governos e empresas que também façam a sua parte.

No dia 22 de março, comemora-se o Dia Internacional da Água. Um dia para lembrar os povos sobre o desafio de garantir a água para as futuras gerações. Esse é um desafio para todos, da China a Lençóis Paulista, da Austrália aos Estados Unidos, para governos, empresas e cidadãos comuns, como nós. A atitude de cada um vai ter consequência direta sobre o futuro. Evitar o pior está nas nossas mãos.

O consumo da água no mundo

  • 70% - agricultura
  • 20% - indústria
  • 10% - doméstico

Fonte: Revista Superinteressante